Artista lança o primeiro single de álbum solo autoral gravado em São Paulo com composições inéditas.

Arnaldo Antunes já sobressaía como compositor quando integrava a banda Titãs. O artista foi um dos cérebros que mais impulsionou a “cabeça dinossauro” do grupo paulistano ao longo dos anos 1980, década áurea dos Titãs.

Em carreira solo desde 1993, Antunes tem alternado álbuns primorosos com discos menos relevantes ou mesmo protocolares, caso do anêmico Já é (2015).

Contudo, a julgar pelo single O real resiste, apresentado em 8 de novembro, tudo indica que Arnaldo Antunes recupera a chama que começou a acender novamente no revigorante álbum RSTUVXZ (2018), disco pautado pelas afinidades e contrastes entre rock e samba.

A gravação da música O real resiste é a primeira amostra do autoral álbum solo de composições inéditas que o artista gravou entre julho e agosto deste ano de 2019, no estúdio paulista Canto da Coruja, em Piracaia (SP), com produção musical dividida entre Gabriel Leite e o próprio Arnaldo Antunes.

Capa do single 'O real resiste', de Arnaldo Antunes — Foto: Reprodução
Capa do single ‘O real resiste’, de Arnaldo Antunes — Foto: Reprodução

Música que joga luz sobre as sombras que ameaçam escurecer o Brasil, O real resiste tem letra e arranjo que pairam soberanos acima de melodia que parece criada a serviço de versos que soam como mantras.

Tal como o single O real resiste, o álbum foi gravado com os toques dos músicos Cezar Mendes (violão de nylton), Chico Salem (violão de aço), Dadi Carvalho (baixo, guitarra e violão de 12 cordas) e Daniel Jobim (piano).

Eis a letra que mostra que, na real, Arnaldo Antunes resiste como uma das cabeças pensantes da música do Brasil:

O real resiste (Arnaldo Antunes)

Autoritarismo não existe

Sectarismo não existe

Xenofobia não existe

Fanatismo não existe

Bruxa fantasma bicho papão

O real resiste

É só pesadelo, depois passa

Na fumaça de um rojão

É só ilusão, não, não

Deve ser ilusão, não não

É só ilusão, não, não

Só pode ser ilusão

Miliciano não existe

Torturador não existe

Fundamentalista não existe

Terraplanista não existe

Monstro vampiro assombração

O real resiste

É só pesadelo, depois passa

Múmia zumbi medo depressão

não, não, não, não

não, não, não, não

não, não, não, não

não, não, não, não

Trabalho escravo não existe

Desmatamento não existe

Homofobia não existe

Extermínio não existe

Mula sem cabeça demônio dragão

O real resiste

É só pesadelo, depois passa

Como o estrondo de um trovão

É só ilusão, não, não

Deve ser ilusão, não não

É só ilusão, não, não

Só pode ser ilusão

Esquadrão da morte não existe

Ku Klux Klan não existe

Neonazismo não existe

O inferno não existe

Tirania eleita pela multidão

O real resiste

É só pesadelo, depois passa

Lobisomem horror opressão

não, não, não, não

não, não, não, não

não, não, não, não

não, não, não, não