Velório será realizado na Alesp, mas ainda não há data confirmada; neste domingo, foi concluída a cirurgia para a retirada de órgãos para doação, como desejava o apresentador.

O corpo de Gugu, morto na sexta-feira (22), deve passar por exames na segunda-feira (25) para em seguida, ser liberado para retirada por uma agência funerária. Esse é um procedimento necessário antes do transporte do corpo dos Estados Unidos ao Brasil, onde será feito o velório. Neste domingo (24), foi concluída a cirurgia para a retirada de órgãos para doação, como desejava o apresentador.

“Nossa expectativa é que esse exame deve ser feito amanhã (segunda-feira). Somente depois disso será liberado para a retirada pela agência funerária, possivelmente no período da tarde”, disse a assessoria em comunicado.

“Ainda não temos mais informações sobre os próximos passos: dia e horário da liberação do corpo na funerária, translado para o Brasil, velório e sepultamento.”

O corpo de Gugu Liberato deverá chegar ao Brasil até quinta-feira (28). De acordo com a assessoria, o velório do apresentador será aberto ao público que tanto o prestigiou e acontecerá em um salão da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), na região do Ibirapuera, Zona Sul da capital. O enterro ocorrerá no Cemitério Getsêmani, no Morumbi, também na Zona Sul.

Retirada de órgãos

A cirurgia para a retirada de órgãos de Gugu foi concluída neste domingo (24), de acordo com informações da assessoria de imprensa do apresentador. O procedimento durou mais de seis horas e foi iniciado na noite de sábado (23). Atendendo a uma vontade de Gugu, todos os órgãos serão doados.

A assessoria informou ainda que os familiares de Gugu questionaram a equipe médica sob a possibilidade de que algum órgão fosse doado para um paciente brasileiro que estivesse na fila para transplante, porém, foi informado que não seria possível devido à distância e o tempo de conservação. A doação deve beneficiar cerca de 50 pessoas.

Antes do início da cirurgia foi realizada uma cerimônia com presença da equipe do hospital e os familiares do apresentador. Na ocasião, os médicos leram o seguinte texto:

“Momento de honra, neste momento e a partir deste momento, honramos Antonio Augusto Moraes Liberato e essa oportunidade de salvar e melhorar a vida de outras pessoas. Ao cuidarmos dele agora, também somos responsáveis por cuidar desse gracioso presente da vida. Estendemos nosso respeito e gratidão à família e os mantemos em nossos pensamentos. Ao tocarmos a vida de muitos hoje, podemos entender nosso papel em transmitir o presente heroico da vida de um ser humano para outro. Que tenhamos um momento de silêncio agora para lembrar Gugu Liberato e todos os que se juntam à sua história do passado, presente e todos os dias à frente.”.

Os familiares de Gugu elaboraram uma carta escrita em primeira pessoa falando sobre o desejo do apresentador de doar seus órgãos.

“Deus em sua infinita bondade nos dá a oportunidade da vida. Vivi minha jornada na Terra seguindo os ensinamentos que recebi de meus pais, Augusto e Maria do Céu. Com eles aprendi a importância de olhar para o próximo com amor e fraternidade. Agora eu sigo adiante por um caminho que me levará mais próximo ao Pai. E neste momento quero praticar os ensinamentos do mestre Jesus. Assim como ele compartilhou o pão com os seus, eu compartilho meu corpo com aqueles que necessitam de uma nova oportunidade de viver. Aos meus familiares eu agradeço por terem realizado a minha vontade. Tenham certeza que, a partir de agora, eu estarei batendo em muitos outros corações e compartilhando minha vida com outros irmãos. Que eu seja um instrumento de amor, oportunidade e de luz. Gugu”.

Gugu Liberato durante coletiva de imprensa do reality show 'Canta Comigo' em 23 de setembro, no Pavilhão Vera Cruz, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo — Foto: Fábio Guinalz/Fotoarena/Estadão Conteúdo
Gugu Liberato durante coletiva de imprensa do reality show ‘Canta Comigo’ em 23 de setembro, no Pavilhão Vera Cruz, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo — Foto: Fábio Guinalz/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Acidente

Gugu Liberato faleceu nesta sexta-feira (22), aos 60 anos em Orlando, nos Estados Unidos. De acordo com o comunicado divulgado nesta sexta pela família, Gugu “sofreu uma queda acidental de uma altura de quatro metros [na quarta-feira] quando fazia um reparo no ar-condicionado instalado no sótão” de sua casa em Orlando.

Na quinta-feira (21), chegou a ser divulgado que ele caiu ao preparar a decoração de Natal, informação que não foi confirmada posteriormente. Após a queda, o apresentador bateu a cabeça em uma quina. No momento do acidente ele estava acompanhado de Rose Miriam, com quem tem três filhos.

A equipe de resgate levou entre cinco e dez minutos para chegar e socorrer Gugu, que foi levado ao Health Medical Center, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva com diagnóstico de sangramento intracraniano.

Em razão do quadro grave, não foi indicada cirurgia. De acordo com o médico Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, o risco de morte em caso de descompressão seria de 70% em um período de três a quatro meses. No período de observação, segundo o comunicado, “foi constatada a ausência de atividade cerebral”. A morte encefálica foi confirmada por Lepski na sexta-feira (22).

Gugu tinha três filhos com a médica Rose Miriam di Matteo: João Augusto, de 18 anos, e as gêmeas Marina e Sophia, de 15 anos.

Gugu Liberato (no meio) com Adenair Lima, Chitãozinho, Xororó, Noely Pereira, Júnior e Sandy no 'Viva a noite', em 1988 — Foto: Moacyr dos Santos/Acervo do SBT
Gugu Liberato (no meio) com Adenair Lima, Chitãozinho, Xororó, Noely Pereira, Júnior e Sandy no ‘Viva a noite’, em 1988 — Foto: Moacyr dos Santos/Acervo do SBT

Vida e carreira

Antônio Augusto Moraes Liberato nasceu na Lapa, bairro de classe média de São Paulo, em 10 de abril de 1959. Filho caçula de portugueses, tinha dois irmãos, Amandio Liberato e a numeróloga Aparecida Liberato.

Fã de Silvio Santos, conseguiu se aproximar do apresentador aos 13 anos ao lhe entregar uma carta. Um ano depois, começou a trabalhar na TV como auxiliar de produção do empresário, que na época tinha um programa na TV Globo.

Em 1982, Gugu passou a apresentar seu primeiro grande sucesso na então TVS: o programa “Viva a noite”. A atração, que alavancou sua carreira, teve destaque por trazer números musicais de artistas em alta na época.

Em 1987, Gugu assinou contrato com a Rede Globo, mas Silvio Santos foi pessoalmente conversar com o jornalista Roberto Marinho e conseguiu a liberação do apresentador.

Silvio iria passar por uma cirurgia delicada e precisava de Gugu para assumir boa parte da programação de domingo no SBT.

Na emissora, Gugu comandou outros programas e quadros de auditório com gincanas, famosos e atrações musicais, como “Sabadão sertanejo” e “Corrida maluca”, além do game show “Passa ou repassa”.

Em 1993, estreou outro grande sucesso, “Domingo legal”, que comandou por 16 anos.

No programa, o apresentador esteve à frente de quadros como “Táxi do Gugu”, “Banheira do Gugu” e “Gugu na minha casa”. Também apresentou números musicais e comandou brincadeiras de palcos com artistas convidados.

Na atração, Gugu também eternizou a música “Pintinho amarelinho”, cantando e dançando repetidas vezes no palco.

Gugu Liberato dança com o 'Pintinho Amarelinho' no 'Domingo Legal' — Foto: Moacyr dos Santos/Acervo do SBT
Gugu Liberato dança com o ‘Pintinho Amarelinho’ no ‘Domingo Legal’ — Foto: Moacyr dos Santos/Acervo do SBT

Gugu foi empresário, cantor e ator

Gugu ganhou projeção nacional por apresentar programas no SBT e na Record, mas sua história foi além do comando das atrações televisivas. Ele também foi empresário, cantor e ator.

Na adolescência, Gugu trabalhou como office-boy. Nos intervalos, escrevia cartas para seu ídolo Silvio Santos. Aos 14 anos, foi convidado para integrar a produção do apresentador.

Ele continuou a carreira como produtor por um período, mas não gostou da função e começou a estudar odontologia. Chegou a fazer dois anos do curso, mas acabou voltando definitivamente para a televisão. Ele também estudou jornalismo.

Ao longo da carreira, Gugu Liberato teve vários brinquedos atrelados a seu nome e até um parque aquático, que encerrou as atividades em 2002.

No mesmo ano, o apresentador lançou o álbum “Gugu para crianças”, com músicas infantis. Também virou personagem em quadrinhos no “Almanaque do Gugu”, distribuído entre as décadas de 1980 e 1990.

Gugu também atuou no cinema ao lado de Xuxa, Angélica, Os Trapalhões e outros. Em alguns filmes, como “O Noviço Rebelde”, “O Casamento dos Trapalhões” e “Os Fantasmas Trapalhões”, interpretou a si próprio em cena.

Em outros, como “Xuxa e os Duendes” e “Padre Pedro e a Revolta das Crianças”, deu vida a personagens como o Duende da Inveja e o Padre Sebastião.