Em novo documentário, ela lembra que médicos disseram que ela estava perto de morrer e tinha 'de 5 a 10 minutos'. Cantora considera que está na sua 'nona vida.

“Demi Lovato: Dançando com o Diabo” será lançado no YouTube no dia 23 de março

No trailer de um documentário divulgado nesta quarta-feira (17), Demi Lovato revela que teve um ataque cardíaco e três acidentes vasculares cerebrais no dia em que sofreu uma overdose em 2018.

Ela conta que os médicos disseram que ela estava perto de morrer e tinha “de 5 a 10 minutos” para ser salva. A cantora diz que está em sua “nona vida” (expressão em inglês correspondente à “sete vidas” em português).

“Demi Lovato: Dançando com o Diabo” será lançado no YouTube no dia 23 de março.

Overdose

Demi Lovato foi internada após sofrer uma overdose no dia 24 de julho de 2018. A cantora foi levada a um hospital em Los Angeles.

Inicialmente, o TMZ relatou que Demi sofreu “o que parece ser uma overdose de heroína”. Depois, o site afirmou que “uma fonte relacionada à cantora” diz que a causa não foi heroína, mas não especificou qual droga causou a internação.

Site é especializado em celebridades e noticiou em primeira mão a morte do Michel Jackson nove anos atrás. Informação é que ela está estável.

Fontes da polícia disseram ao TMZ que ela foi encontrada inconsciente em sua casa em Hollywood e tratada com Narcan, uma substância usada contra overdoses de drogas opioides, como heroína e analgésicos.

Elas também informaram que Demi saiu de sua casa em Hollywood Hills rumo ao hospital. De acordo com o TMZ, ela tinha ido a uma festa de aniversário na segunda-feira à noite. Um show que ela faria em Atlantic City, na quinta-feira (26), foi cancelado.

Demi havia afirmado que estava há mais de seis anos longe das drogas e do álcool.

Com carreira voltada para o pop dançante e início em programas da Disney, Demi já veio ao Brasil em 2009, 2010, 2012, 2014, 2015 e no ano passado. Ela tem shows marcados em São Paulo, Rio, Recife e Fortaleza em novembro.

Música sobre ficar sóbria

Um mês antes da overdose, Demi lançou uma música sobre a tentativa de permanecer sóbria. Ela se emocionou ao cantar “Sober” durante o Rock in Rio Lisboa.

Demi Lovato — Foto: Divulgação
Demi Lovato — Foto: Divulgação

Na música, Demi versa sobre a batalha para tentar ficar sóbria, desde 2012. A letra fala sobre os problemas para lidar com seus vícios.

Além deles, ela já falou que passou por dificuldades com automutilação, anorexia, bulimia, transtorno bipolar e bullying.

Carreira do Disney rock e do pop ao álbum ‘cru’

Demetria Devonne Lovato começou a carreira com uma espécie de Disney rock. Os primeiros shows foram abrindo para o Jonas Brothers, com quem ela contracenou nos filmes de “Camp Rock”. É desta fase canções como “Don’t Forget”, “This is Me” e “La La Land”.

A partir de 2012, passou a investir em hits mais dançantes. Ela foi produzida por Timbaland e lançou músicas como “Give your heart a Break”. Nesta fase, também cantou baladas emocionantes como “Skyscraper”.

Mesmo com problemas pessoais, seguiu lançando hits nos anos seguintes, com destaque para “Cool for the Summer”, do disco “Confident”, de 2015.

Lançado em outubro passado, o sexto disco “Tell Me You Love Me” não tem sucessos fáceis. Os gêneros da vez eram R&B e hip hop. O álbum emplacou “Sorry not Sorry” e é arrastado e sensual. Ele refletia um período de calmaria após fim de namoro e problemas pessoais.

Luta contra drogas

Em 2017, Demi relembrou sua luta contra dependência de drogas durante um evento da Brent Shapiro Foundation for Drug Prevention.

“É incrível ser homenageada por minha sobriedade porque isso é algo que eu decidi fazer por mim mesma, e isso é uma coisa que eu precisava fazer por mim e estar sendo reconhecida por isso é incrível”, afirmou.

Lovato aproveitou o evento para continuar que estava trabalhando para se manter saudável. Para isso, ela fazia exercícios regularmente e frequentava um terapeuta duas vezes por semana.

“Às vezes eu olho para trás e simplesmente agradeço por estar viva. Sou muito agradecida por essa equipe que entrou na minha vida”, afirmou.

“Eu sou capaz de olhar para o que eu tenho feito, sentar e pensar: ‘Uau, sou tão feliz por ter estado sóbria e ser capaz de ajudar pessoas'”.