Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Duo formado pelo compositor e músico Max Silva (arranjos, guitarra, piano e voz) com a cantora Marcê Porena (voz e direção de cena), NU’ZS apresenta pelo Brasil desde abril de 2017 o show Chico Buarque – Um outro olhar.

Como o título do espetáculo já explicita, a dupla propõe nova visão para o cancioneiro do compositor carioca Chico Buarque, um dos ícones da MPB projetada na era dos festivais dos anos 1960.

Após ter percorrido mais de 50 cidades do Brasil, em rota que será estendida em 2020 com apresentações em cidades como Belo Horizonte (MG) e Recife (PE), a turnê nacional do show Chico Buarque – Um outro olhar gera disco.

O single Olhos nos olhos aporta nas plataformas de áudio na próxima sexta-feira, 24 de janeiro. No single, a canção de Chico Buarque – lançada na voz de Maria Bethânia em gravação feita para o álbum Pássaro proibido (1976) – é apresentada na voz de Marcê Porena com o toque de guitarras, sintetizadores e loopings pilotados por Max Silva em atmosfera eletrônica.

Chico Buarque tem a composição 'Olhos nos olhos' revivida em ambiência eletrônica pelo duo NU'ZS — Foto: Leo Aversa / Divulgação
Chico Buarque tem a composição ‘Olhos nos olhos’ revivida em ambiência eletrônica pelo duo NU’ZS — Foto: Leo Aversa / Divulgação

Olhos nos olhos – cabe lembrar para quem não conhece a história da MPB – foi a música que amplificou a voz de Maria Bethânia entre as camadas mais populares do Brasil pelo fato de a gravação ter tocado muito em emissoras de rádio AM, plataformas nas quais a cantora até então era presença bissexta.

Embora Bethânia já tivesse arrastado pequenas multidões para a casa Canecão ao longo de 1975 para ver o show feito pela cantora com Chico Buarque, a intérprete ainda era vista até 1976 como uma artista pertencente ao círculo elitizado da MPB da década de 1970.

O sucesso da gravação de Olhos nos olhos abriu caminho para a explosão nacional de Bethânia dois anos depois com o álbum Álibi (1978).