Condado se tornou o mais recente epicentro da pandemia de coronavírus nos Estados Unidos, superando 7 mil hospitalizações por causa da doença pela primeira vez na segunda-feira (28).

O estúdio Paramount é um dos fechados em dezembro durante aumento de casos de Covid em Los Angeles — Foto: Valerie Macon/AFP
O estúdio Paramount é um dos fechados em dezembro durante aumento de casos de Covid em Los Angeles — Foto: Valerie Macon/AFP

A maioria das produções de Hollywood foi interrompida novamente até pelo menos meados de janeiro enquanto os casos da Covid-19 atingem níveis recordes em Los Angeles, anunciou um dos sindicatos da indústria cinematográfica.

O sindicato americano dos atores disse que a maioria das produções de entretenimento “permanecerá em pausa até a segunda ou terceira semana de janeiro, se não mais tarde”, segundo um comunicado enviado aos membros na terça-feira (29).

O anúncio foi divulgado depois que as autoridades de saúde do condado de Los Angeles, na véspera de Natal, apelaram aos cineastas que “considerassem a possibilidade de interromper seus trabalhos por algumas semanas durante esse aumento catastrófico de casos de Covid”.

Los Angeles — o condado mais populoso do país — emergiu como o mais recente epicentro da pandemia de coronavírus nos Estados Unidos, superando 7 mil hospitalizações por Covid pela primeira vez na segunda-feira (28).

O extenso condado de 10 milhões de habitantes registrou quase 750 mil casos, incluindo pouco menos de 10 mil mortes.

A ordem de “ficar em casa” no sul da Califórnia foi prorrogada indefinidamente na terça, com vários hospitais sobrecarregados e obrigados a recusar ambulâncias.

O sindicato conduziu esforços de meses para reativar Hollywood desde seu fechamento inicial em março, coassinando um acordo com os principais estúdios em setembro para aumentar as medidas de segurança contra o coronavírus para seus atores, incluindo testes.

Mesmo assim, as produções de entretenimento de Los Angeles operavam com menos da metade de seus níveis normais em outubro, antes de cair novamente, à medida que os casos de Covid começaram a disparar.

O Film LA, o órgão que concede licenças para produções em Los Angeles, disse que as inscrições para filmes caíram recentemente para “níveis que não víamos desde as semanas após o reinício da produção no verão passado”.

Além de algumas dezenas de filmes independentes, poucas produções foram retomadas em Los Angeles este ano, com a maior parte da atividade de filmagem restrita a comerciais e gravações de videoclipes.

No entanto, produções de alto nível foram retomadas no exterior, incluindo o último “blockbuster” de Tom Cruise, “Missão Impossível 7”, no Reino Unido e na Itália, e séries de TV como “Supergirl” e “Batwoman” no Canadá.

A falta de seguro contra o coronavírus continua a atrapalhar as produções que esperam reiniciar.

O sindicato disse que garantiria “as precauções adequadas para o período de pausa do feriado, incluindo tempo adicional para testes antes da retomada da produção”.