Foto: Divulgação/Instagram / Montagem G1
Foto: Divulgação/Instagram / Montagem G1

Artistas baianos que pavimentaram trajetórias ascendentes ao longo dos anos 2010, Josyara e Giovani Cidreira cruzam os caminhos fonográficos em 2020. Os artistas gravam juntos um disco com músicas inéditas.

Ela veio ao mundo em Juazeiro (BA), cidade natal de João Gilberto (1931 – 2019), lançou em 2012 o primeiro álbum, Uni versos, começou a ser notada com o segundo – Mansa fúria, editado em 2018 com repertório autoral de grande força poética, valorizado pelo singular toque do violão da artista – e já iniciou os preparativos do terceiro.

Ele nasceu em Salvador (BA), foi vocalista da banda Velotroz, debutou na carreira solo em 2014 com o EP Giovani Cidreira e começou a chamar atenção no circuito indie há três anos com o primeiro álbum, Japanese food, ao qual se seguiu no ano passado o disco Mix​$​take (2019), produzido por Cidreira com Benke Ferraz, da banda Boogarins.

Juntos, Josyara e Giovani preparam o terceiro título do lote do projeto Joia ao vivo, orquestrado pelo DJ Zé Pedro com Marcio Debellian para a gravadora Joia Moderna. Ao contrário do que faz supor o título Joia ao vivo, os discos do projeto são gravados em estúdio.

A ideia inicial era juntar Josyara com o cantor, compositor e pianista Zé Manoel, mas, como o artista pernambucano vem se dedicando à gravação do terceiro álbum de estúdio, Giovani Cidreira foi convidado a se unir com a colega baiana para fazer o disco, programado para ser lançado neste primeiro semestre de 2020.