A discografia de Luiz Melodia (7 de janeiro de 1951 – 4 de agosto de 2017) costuma ser louvada sobretudo por conta do primoroso primeiro álbum desse cantor, compositor e músico carioca que saiu de cena há um ano.

Lançado em 1973, o álbum Pérola negra é, de fato, o retrato mais bem acabado do cancioneiro plural do compositor de músicas como o samba Estácio, Holy, Estácio (1972). Contudo, há outros ótimos títulos na discografia do artista.

É o caso de Maravilhas contemporâneas, segundo álbum de Melodia, lançado em 1976, três anos após Pérola negra. Reposto em catálogo pela gravadora Som Livre em abril de 2017, no formato de CD, Maravilhas contemporâneas ganha reedição em LP neste mês de outubro de 2018 dentro da série Clássicos em vinil, da Polysom.

Capa da reedição em LP do álbum 'Maravilhas contemporâneas', de Luiz Melodia — Foto: Divulgação / Polysom
Capa da reedição em LP do álbum ‘Maravilhas contemporâneas’, de Luiz Melodia — Foto: Divulgação / Polysom

O maior sucesso deste álbum de 1976 foi Juventude transviada, música propagada na trilha sonora da novela Pecado capital (TV Globo, 1975 / 1976) antes mesmo de Maravilhas contemporâneas chegar às lojas.

Música lançada em 1975 na voz da cantora Vanusa, no álbum Amigos novos e antigos, Congênito é outra composição que sobressaiu em repertório autoral no qual Melodia apresentou músicas como Amor, Baby Rose, Mary, Memórias modestas, Paquistão, Questão de posse e a composição-título Maravilhas contemporâneas. Guto Graça Mello assinou a produção do disco.