Atriz vai interpretar Kim, especialista em internet. Durante lançamento de 'Dona do pedaço', ela diz que quer voltar a apresentar programa de TV.

Monica Iozzi decidiu ficar com os cabelos platinados para interpretar Kim, especialista em internet de “A Dona do Pedaço”, próxima novela das 21h escrita por Walcyr Carrasco. Mas ela não imaginava como isso mudaria seu dia a dia.

“Prefiro as morenas, mas chama mais atenção. Fazia muito tempo que eu não ouvia um psiu na rua e agora está uma coisa assim quase insuportável”, conta.

“Esses dias eu estava de moletom com minhas cachorras. Um moço parou o carro e falou ‘oh loira’. Ele não deveria ter feito isso, mas nunca aconteceu quando eu estava morena.”

Ela revela que tem tido muito trabalho com o novo visual e considera raspar o cabelo quando a novela terminar.

A mudança despertou questionamentos quase sociológicos para a atriz. “Quando tingi o cabelo, eu era a única morena do salão, isso me chamou a atenção. Isso é muito comum no Brasil, em outros países não têm tantas loiras assim. Que fetiche é esse que as brasileiras têm com essa coisa ariana, nórdica?”

Kim é uma empresária e coordena a carreira de algumas blogueiras de moda. A principal cliente será a personagem de Paolla Oliveira. Monica promete uma relação de amor e ódio divertida entre as duas.

“São amigas que têm liberdade total uma com a outra. A gente só grosseiro e dá ‘piti’ com quem a gente é muito próximo. Elas são sinceras, de vez em quando rola uma rusga.”

Um programa para chamar de seu

Monica Iozzi e Otaviano Costa no comando do "Vídeo Show" — Foto: Globo/Estevam Avellar
Monica Iozzi e Otaviano Costa no comando do “Vídeo Show” — Foto: Globo/Estevam Avellar

Monica fez sucesso ao integrar a bancada do programa CQC por cinco anos. Também foi uma das mais populares apresentadoras do “Vídeo Show”, entre 2015 e 2016, e levou dois prêmios pelo desempenho.

Depois disso, fez novelas, séries, filmes e até algumas pontas no programa “Papo de Segunda”, mas revelou que tem vontade de voltar a apresentar e isso “não vai demorar a acontecer”.

“Pretendo voltar, mas agora tem que ser uma coisa que tenha a minha assinatura. Quero fazer meu programa com temas que são caros para mim, e acho que as pessoas vão gostar de conversar a respeito.”

Em outubro de 2016, a atriz foi condenada pela Justiça de Brasília a pagar R$ 30 mil ao ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, após criticar a decisão de conceder habeas corpus ao ex-médico Roger Abdelmassih, indiciado por crimes de estupro e manipulação genética irregular.

Monica diz que não vai se calar, mas o episódio a fez reavaliar a forma como se expressa.

“Se eu mudasse, concordaria com a censura que ele tentou impor às minhas opiniões. Continuo falando o que penso, talvez com um pouco mais de cuidado, porque também não tenho dinheiro para sair pagando esse pessoal.”

“Não consigo me calar porque desde muito cedo eu tenho um interesse muito grande pela vida em sociedade, por política. Se isso, mudar eu implodo e desenvolvo um câncer. É a nossa vida, tem que se importar. Se as pessoas se interessassem mais, estaríamos um pouco melhor.”

Hoje, a atriz abandonou o Twitter e o Facebook, mas continua ativa no Instagram. A decisão de manter apenas uma rede não foi para evitar conflitos ideológicos, mas para ganhar tempo.

“É muita coisa. Quando ia ver, tinha passado três horas do meu dia. Existe uma leveza ainda no Instagram que se perdeu um pouco no Facebook. Eu não estou em rede social pelo número de seguidores, mas para me comunicar com quem quiser me ouvir. O que vem em primeiro lugar é minha felicidade.”