Intitulado 'Quem me viu, quem me vê', o disco marca mudança de produtor musical na obra fonográfica do artista paulistano.

Com lançamento programado para 18 de outubro, o quinto álbum de Pélico, Quem me viu, quem me vê, expõe já no título a intenção do artista paulistano de virar o disco. A começar pela mudança do produtor musical.

Sai Jesus Sanchez – arquiteto de álbuns como Que isso fique entre nós (2011) e Euforia (2015), disco que mostrou Pélico indeciso entre a extroversão pop e a melancolia cool – e entram o guitarrista Regis Damasceno e o baixista Dudinha.

Os dois assinam a produção musical de Quem me viu, quem me vê, álbum anunciado na sexta-feira, 4 de outubro, pelo single Descaradamente. É na batida urgente desse rock que Pélico vocifera contra a mentira em tom assumidamente político.

Capa do single 'Descaradamente', de Pélico — Foto: Caroline Bittencourt com arte de Julia Valiengo
Capa do single ‘Descaradamente’, de Pélico — Foto: Caroline Bittencourt com arte de Julia Valiengo

“O vício corrosivo da mentira se espalha sobre a terra que um dia foi redonda. Falsos profetas, milicianos, juízes, procuradores, devoradores da natureza dançam em volta da fogueira e cantam seus mais ardilosos planos. Enquanto isso, nós, viciados na beleza de um mundo mais justo, continuaremos sonhando e lutando. Esse meu canto é pra essa gente que mente descaradamente”, caracteriza o artista ao discorrer sobre Descaradamente, música formatada em estúdio com vocais de Negro Leo.

Gravado com músicos como André Lima (sintetizadores) e Clayton Martin (bateria e percussão), o álbum Quem me viu, quem me vê tem repertório composto por dez músicas inéditas e autorais.

Eis, na ordem do disco, as dez músicas gravadas por Pélico no álbum Quem me viu, quem me vê:

1. Acerto de contas

2. Quem me viu, quem me vê

3. Nosso amor

4. Não procurava ninguém

5. Machucado

6. Descaradamente

7. Nunca mais

8. Louco por você

9. Pra te dizer

10. Amanheci