Até o final do primeiro ano, o serviço prevê incluir 500 filmes e documentários, e 7.500 episódios de programas e séries de televisão.

O Disney+, serviço de streaming da companhia, será lançado em 12 de novembro e terá assinatura mensal de US$ 6,99 (cerca de R$ 27). O anúncio foi feito nesta quinta-feira (11) durante um evento para investidores.

A plataforma estará disponível apenas nos Estados Unidos no primeiro momento. Mas a companhia prevê presença em “todas as regiões do mundo” em até dois anos.

O catálogo terá produções de Disney, Pixar, Star Wars, Marvel e National Geographic. Além disso, todo o conteúdo de “Os Simpsons”, produção da Fox, estará disponível. Outras produções do canal serão incluídas ao longo dos primeiros meses.

Grandes lançamentos deste ano, como “Capitã Marvel”, “Vingadores: Ultimato”, “O Rei leão” e “Alladin” também entrarão na plataforma a partir da estreia.

Até o final do primeiro ano, o serviço prevê incluir 500 filmes e documentários, e 7.500 episódios de programas e séries de televisão.

A companhia planeja investir US$ 1 bilhão em conteúdo original até 2020, segundo a diretora financeira Christine McCarthy.

A plataforma prepara 25 séries e 10 filmes originais. Dentre eles, uma refilmagem de “A dama e o vagabundo”, a fantasia “Noelle” com Anna Kendrick, um filme de “Phineas e Ferbie” e a primeira série animada do universo Marvel, “What if…”.